Embora as tecnologias de mídia estejam se aperfeiçoando a cada dia, o design de animação ainda é uma ferramenta de mídia poderosa para atender às suas demandas de marketing.

Existem dados que comprovam a eficácia do vídeo quando o assunto é engajar o público-alvo. Aliás, 87% dos profissionais da indústria utilizam os vídeos, seja com intuito de treinamento interno ou para geração de leads.

Especificamente o design de animação para vídeos é uma ferramenta incrível para contar histórias. Estúdios e agências criativas estão utilizando-o cada vez mais com seus clientes para narrar acontecimentos e fornecer informações de uma maneira que se adapte à sua marca, seja expansível, adaptável, divertida e interessante de assistir.

A palavra “animação” pode levar as pessoas a pensar instantaneamente em algo como Pokémon ou Mickey Mouse. Embora, sim, estas sejam animações, existem muito mais estilos e aplicações do que apenas desenhos animados projetados para entreter as crianças.

Os animadores estão sempre trazendo novos níveis de sofisticação e criando formas revolucionárias de contar histórias que são únicas e modernas, sendo no estilo “desenho animado” ou não. 

Dito isso, tenha em mente: não é nenhum demérito trabalhar imagens de forma “caricatural”. Afinal, isso tende a prender a atenção do interlocutor, visto que somos, de certa forma, “programados” para isso desde a primeira infância.

Neste artigo, vamos abordar 5 estilos diferentes de design de animação – todos os quais podem ser soluções criativas de marketing utilizadas no design de animação. Iremos explorar o amplo espectro, reforçando que tipo de tecnologia é utilizada e suas principais aplicações.

1. Design de Animação Tradicional

A animação tradicional refere-se ao estilo de animação dos primeiros grandes filmes, começando com Walt Disney Animation Studios, em 1937. “Branca de Neve e os Sete Anões foi o filme que revolucionou a indústria da animação e o trouxe para o mainstream como uma divertida nova fonte de mídia e entretenimento.

Para Branca de Neve, eles usaram vários tipos de estilos artísticos e soluções criativas para criar o ambiente imersivo, mas era principalmente um processo desenhado à mão, quadro a quadro, o que o tornava um tanto quanto trabalhoso.

Isso faz da animação tradicional uma das opções menos econômicas para os estúdios utilizarem até os dias de hoje. No entanto, as práticas tradicionais de animação, como storyboard, design de personagens e esboços quadro a quadro, ainda são muito utilizadas em outros tipos de animações..

Quase 100 anos se passaram e o Walt Disney Animation Studios ainda é o estúdio de animação mais bem-sucedido e influente do planeta. Não apenas suas habilidades de animação são de alto nível, mas sua devoção à ótima narrativa e à criação de ambientes bonitos e imersivos leva o design de animação da Disney a ser tão bem-sucedido quanto é. 

Muitos animadores ainda utilizam o design de animação tradicional e o processo de storyboard quadro a quadro para ilustrar as emoções completas dos personagens ou cenas de ação complexas com muitos detalhes. Artistas, designers e animadores dedicam-se a criar centenas ou até milhares de quadros para que a animação fique o mais próximo possível da perfeição.

Por ser uma solução criativa bastante custosa, o design de animação tradicional é pouco utilizado no mundo dos negócios. Embora, por vezes, surja como uma alternativa de comunicação visual interna nas empresas, tornando o ambiente de trabalho mais “friendly”.

2. Design de Animação 2D baseada em Vetor

A animação 2D baseada em vetor é sem dúvida o estilo mais comum de design de animação, sendo representada por gráficos bidimensionais criados em softwares como o Adobe Photoshop ou Illustrator.

Embora esses gráficos possam ser manipulados para parecerem 3D, em última análise, se você não puder girar o objeto para obter várias visualizações, isso o caracteriza como sendo uma animação 2D.

Mesmo com suas limitações, o design de animação 2d em vetor tem uma quantidade ilimitada de maneiras de retratar uma animação de alta qualidade em 2D. Pode haver um certo charme ou qualidade estética agradável em ver algo que foi simplificado em um estado ilustrado e interpretado de uma maneira única, mas ainda mostra experiências de vida relacionáveis e informações valiosas.

O design de animação 2D pode ser utilizado para retratar sentimentos, emoções ou transmitir informações complexas de uma maneira mais interativa para o público absorver. 

A animação 2D também é a mais utilizada para branding e marketing devido à escalabilidade e facilidade de distribuição. Além disso, pode ser expandido em formato de banner criativo, por exemplo. 

No geral, a animação 2D é a mais econômica para produção, pois você só precisa se preocupar com o que o público está vendo em uma imagem plana, em vez da dimensionalidade total da cena. Também é muito menos trabalhoso do que outros tipos de animação e o mais adaptável a mudanças.

Precisa produzir um vídeo com design de animação 2D para sua empresa?



Fale com um monstro

3. Design de Animação 3D

Animações 3D são gráficos que foram modelados em um ambiente tridimensional e depois animados. Você pode girar os ativos no espaço de 360 graus para obter o ângulo desejado para a composição.

A modelagem de cenas, objetos e personagens 3D para criar visuais é uma imagem gerada por computador, mais conhecida como CGI.

Devido a essa quantidade de dados, a animação CGI é tecnicamente trabalhosa. Você precisa de computadores de alta potência para executar programas como Cinema 4D, Houdini e Maya.

Também é artisticamente trabalhoso, pois nem todos os animadores são capazes de fazer CGI, o que significa que é incomum que um animador seja um faz-tudo. Em vez disso, você provavelmente terá vários animadores especializados em estilos ou técnicas específicas de animação 3D, como vídeos de marketing 3D, animação de personagens ou efeitos especiais.

Apesar de ser trabalhoso, os benefícios do design de animação CGI e 3D são visualmente ilimitados e os criadores estão constantemente ultrapassando os limites de textura, estilo e sofisticação.

Assim como a animação 2D, há um espectro de qualidade. Estúdios de animação como Pixar e DreamWorks se concentram em um design simplificado e depois animam com texturas hiper-realistas e profundidade que envolvem uma narrativa complexa e personagens multidimensionais.

Há também animadores que modelam coisas no espaço 3D e depois simplificam a cena para parecer que foi construída em 2D. A mistura entre gráficos 2D e 3D é mais envolvente e divertida para o público acompanhar.

Há também animadores de efeitos especiais 3D que se concentram em transformar imagens de tela verde e informações de captura de movimento em CGI de fantasia completa. Filmes de ficção científica e fantasia costumam usar CGI para fazer com que o público se sinta em outro mundo.

Esta também é uma habilidade especial que nem todo animador 3D possui. Modelar e animar objetos para combinar com um ambiente realista é demorado e trabalhoso. Iluminação, profundidade e tempo precisam combinar precisamente para fazer o público acreditar que o que está vendo é real.

4. Design de Animação Motion Graphics

 Motion graphics é um subgênero da animação. Animação é um termo muito amplo, sendo um substantivo e um verbo, enquanto gráficos em movimento são apenas um substantivo. Seriam melhores descritos como “gráficos animados complementares”. Ou seja, existe para fornecer mais informações do que a animação principal.

Por exemplo, os principais tipos motion graphics são:

  • Texto animado/tipografia;
  • Infográficos;
  • Terços inferiores;
  • Cartões de título;
  • CTA;
  • Transições de vídeo.

Embora individualmente esses diferentes itens não componham um vídeo ou animação completo, eles podem ser aplicados a uma narrativa para aprimorar a experiência e fornecer mais informações para o público. Imagine um filme em que o título nunca foi animado na tela ou não havia créditos iniciais ou finais. Pois então…

Eles também podem ser usados para melhorar o reconhecimento da marca, como o famoso logotipo animado da Pixar, por exemplo.

Os motion graphics estão sendo mais usados em web design e estão fornecendo uma experiência interativa mais envolvente. Agora você pode fazer animações vetoriais completas apenas em CSS e JavaScript sem nunca tocar no After Effects.

Os motion graphics também podem ser feitos em estilo 2D, 3D, tradicional ou stop motion. A principal diferença é que os motion graphics apenas aprimoram uma animação, mas não são uma animação completa. Uma animação se aplica a qualquer narrativa ou conceito que é explicado sem imagens de vídeo.

5. Stop Motion

O stop motion é, sem dúvidas, o estilo de design de animação mais trabalhoso. É semelhante à animação tradicional. à medida em que também é um processo quadro a quadro.

Enquanto a animação tradicional é 2D e principalmente desenhada à mão, o stop motion é a fotografia transformada em animação 3D.

Há um charme muito único nesse estilo de design de animação – os movimentos não são super fluidos e têm uma aparência orgânica para sugerir que foi movido à mão e não por computadores.

O processo básico de produção de stop motion é o seguinte:

  • A cena é modelada na vida real com adereços, objetos e materiais;
  • Os personagens são todos criados junto com suas diferentes posições e expressões faciais, e então colocados na cena apropriada;
  • A cena é iluminada e composta, só então ficando pronta para ser fotografada;
  • Os personagens e cenas são então ajustados ligeiramente, e outra fotografia é tirada;
  • Este processo é repetido, ajustando os personagens e cenas todas as vezes até que a animação e o ritmo desejados sejam totalmente fotografados;
  • Todas as fotografias são então compiladas juntas para criar uma animação 3D completamente feita com fotografia feita à mão;

Os longas-metragens em stop motion são bastante únicos e também exigem uma pré-produção intensa. Como uma cena pode levar até milhares de fotografias cuidadosamente encenadas, a margem para erros é pequena.

Stop motion é um ótimo estilo de design de animação para retratar certos humores ou emoções. Um dos filmes mais icônicos, “The Nightmare Before Christmas”, de Tim Burton, mostra como a animação em stop motion pode realmente vender uma certa estética. Isso ajuda a dar vida a personagens assustadores e exagerados e dá a eles um estilo de movimento perturbador.

Também pode ser usado no marketing para transmitir um estilo mais “orgânico” ou “feito à mão” que pode se adequar a uma determinada marca. Os recursos de stop motion são ilimitados!

Em resumo…

Design de animação leva tempo! Seja uma fotografia quadro a quadro ou uma simples animação 2D baseada em vetor, uma animação de alta qualidade requer planejamento cuidadoso e paciência.

A narrativa e o conceito devem ser acordados pelas partes envolvidas, o estilo deve ser original e inovador, e a animação deve deixar o público sentindo uma certa emoção ou chamada à ação (CTA).

Planejar os personagens, explorar diferentes opções de estilo, criar cenários e desenvolver a narrativa são coisas que podem passar por várias revisões. Tudo, desde a direção artística e estilos de animação, até a música e os efeitos sonoros, precisam se alinhar para que a animação atinja o efeito desejado.

Outro fator de qualidade é o orçamento. Embora uma animação possa tecnicamente ser feita a qualquer preço, a tecnologia e a qualidade da animação variam muito. A animação 3D leva muito mais tempo e poder técnico do que a 2D, por isso é normalmente mais cara. Quanto mais dinheiro envolvido no projeto, mais imersiva a animação pode ser.

Uma boa animação também requer testes e pesquisas. Como certas partes podem ser aprimoradas ou alteradas para melhor se adequarem ao conceito? O público reage da maneira que queremos? Por que ou por que não?

Ao entender os diferentes tipos de animação e os recursos que eles exigem, podemos mostrar a todos o verdadeiro valor da animação, nas mais diversas vertentes do marketing.

E aí, bora fechar uma produção?



Fale com um monstro

Deixe um comentário

3 + dezenove =